"Que dúvida Que dívida Que dádiva / Que duvidávida afinal a vida."

David Mourão Ferreira, Matura Idade


"Maria Fernanda Braga nasceu em 31 de Julho de 1965 e é uma oleira da nova geração. Não é filha de oleiros. Não é originária de terra de oleiros (nasceu em Portimão), nem aprendeu a arte em tenra idade. Também não é homem, e ser oleiro era profissão a que só os homens tradicionalmente podiam aceder. Diga-se, de passagem, que não há conhecimento de, em alguma época, a olaria de torno em Portugal ter sido executada por mulheres. A elas, apenas e só, estava destinada, em casa de oleiros, as lides domésticas e os trabalhos do barro: ir à água, apanhar lenha, amassar o barro, ajudar a enfornar, a desenfornar e vender a loiça. O trabalho da mulher nas olarias de roda alta, ou torno, sempre foi subalterno e duro, muito duro.

Maria Fernanda Braga acedeu à arte, não por genealogia, mas sim, por opção, tendo frequentado, entre 1997 e 1998, em Guimarães, um Curso de Olaria, integrado num Projecto CPC – Conservação do Património Cultural. Imediatamente após a conclusão deste Curso, estabeleceu-se por conta própria, tendo instalado o seu atelier na freguesia de Fermentões, em Guimarães.

Os cânones pelos quais se rege continuam a ser os tradicionais (faz a cantarinha das prendas ou dos namorados – peça emblemática da olaria vimaranense), mas também é certo que não se inibe de produzir outras peças contemporâneas, utilizando a decoração típica com mica. Outros projectos surgiram, como é o caso da reprodução de duas peças de cerâmica pré-romana, de Briteiros e Rendufe, a pedido da Sociedade Martins Sarmento. Ou o estudo que fez para uma imagem de Nossa Senhora da Oliveira, do qual resultou a reprodução de uma peça em barro pintado, a pedido do Museu de Alberto Sampaio. Das suas mãos têm também saído vários presépios originais que têm obtido bastante sucesso Uma das suas cantarinhas foi seleccionada para representar o artesanato do norte de Portugal, no prémio nacional de Artesanato 2003 – "Oiro da terra, sonho das mãos".

Paralelamente a esta actividade, tem-se dedicado a orientar ateliers de olaria para crianças e dado formação a professores e educadores de infância nos vários Centros de Formação para Professores."


Isabel Maria Fernandes